Em novembro de 2003, surgiu a ideia de se formar uma aliança entre setores público e privado para a modernização da Alfândega no Brasil. A aliança então foi lançada na conferência da UNCTAD na cidade do Rio de Janeiro. A conferência da UNCTAD forneceu a adequada estrutura internacional para dar legitimidade à iniciativa.

O projeto foi apresentado e endossado na reunião do MERCOEX, associação regional que reúne os exportadores brasileiros (AEB), argentinos (CERA), uruguaios (Unión de los Exportadores) e paraguaios.

A partir do apoio da Associação de Exportadores Brasileiros (AEB), foi criada uma Aliança composta inicialmente de 54 instituições empresariais e uma ONG (Transparência Brasil).

Para tanto, foram estabelecidas as 54 diretrizes que devem caracterizar uma Aduana moderna elaboradas pela International Chamber of Commerce (ICC) em parceria com a Organização Mundial das Aduanas (OMA).

Assim, a Aliança foi lançada oficialmente em 11 de maio de 2004, contando com a presença de líderes da Alfândega Brasileira, e de representantes das alfândegas da Suécia e da República Tcheca.

Deu-se início, portanto, à Aliança Pró-Modernização Logística do Comércio Exterior – PROCOMEX –, uma iniciativa civil, de caráter informal, apolítico e apartidário, que reúne instituições do setor produtivo, especialistas e agentes do comércio exterior, com o propósito de dotar o Brasil de um sistema de fluxo aduaneiro moderno e competitivo, estimulador das atividades empresariais.

UA-41503162-1